quarta-feira, 29 de julho de 2009

Ah, o olfato!

A vida realmente me surpreende. Não por coisas inacreditáveis, mas por pequenas coisas incríveis que acontecem com a gente todos os dias.. Acabei de voltar do supermercado e por acaso um desodorante estava em oferta. Parei pra analisar o custo/benefício e contar meu dinheiro (rs), quando decidi sentir os perfumes pra ver qual eu gostava mais. Então eu abri a embalagem de 1 ou 2 desodorantes e depois peguei um que eu já usei há algum tempo atrás. Abri este para sentir o cheiro e ele estava todo lambusado, "sujou" minha mão de perfume. Não comprei, passei no caixa com o talharim, o queijo ralado e os pães. No caminho de volta até minha casa (2 longos quarteirões..rs) eu estava sentindo cheiro de sensação. Sensação boa. Não sei explicar, acho que usava esse tal desodorante quando conheci o Mau, ou quando fui para praia, não me lembro. Mas é cheiro de coisa boa. Nem sei como consigo me lembrar da sensação relacionada ao cheiro, mas tem tantos perfumes que as vezes eu sinto; na rua, nas pessoas, e quase sempre nem sei que perfume é, não me lembro do nome ou da marca, somente da sensação que eu senti no momento em que estava usando o cheiro. Momento. Nem parei pra pensar em quantas coisas boas eu já vivi nos meus poucos 17 anos..Tão simples. A vida é tão simples. É uma antítese: a vida em si é simples, talvez nós é que não conseguimos aceitar a beleza das coisas que são feitas de simplicidade e criamos problemas para tentar justificar, tornar difícil pra valer a pena. O simples vale a pena. Vi isso hoje, esse cheiro, de coisa boa, de felicidade. Como eu demorei pra perceber...

4 comentários:

rezitchas ;) disse...

Concordo pelnamente Má. Cheiros são marcantes, nos trazem lembranças deliciosas, mesmo em tempos dolorosos -.-, maas tbm guardo momentos em músicas e estações... bom nas mais variadas "coisas" hehee...
Adoro o jeito que tu escreve, menina!!
beeijo ;**

rezitchas ;) disse...

plenamente*

Samuca disse...

vc escreve muito bem.

Jota disse...

as pessoas costumam não notar o simples, e acabam perdendo o que é vital!

Beijos Má!
Jota.